segunda-feira

CAS AUMENTA PENA POR DOPING, E GUERRERO ESTÁ FORA DA COPA DO MUNDO



Punição sobe para 14 meses, e atacante não joga mais neste ano


RIO - O atacante peruano Paolo Guerrero não vai mais para a Copa do Mundo. Sua pena por doping subiu para 14 meses, de acordo com resultado do julgamento, em última instância, realizado no último dia 3, na Corte Arbitral do Esporte (CAS). Não cabe mais recurso.

Sua defesa pedia a anulação por completo da pena, que foi reduzida a 6 meses, e a Agência Mundial Antidoping (Wada) pedia aumento para dois anos, tempo aplicado para casos de doping em que fica comprovado que o atleta não fez uso de uma substância proibida para melhorar o desempenho esportivo. A FIFA, terceira parte do caso, que julgou o processo de Guerrero em duas instâncias, também esteve na reunião.

Contando a suspensão provisória, desde 3 de novembro, Guerrero já estava liberado para jogar em 3 de maio, dia da audiência. Ele cumpriu 6 meses de afastamento e agora faltam mais oito meses de suspensão.



Guerrero testou positivo para benzoilecgonina, após consumir chá de coca e chá com mistura com a folha de coca no hotel em que ficou hospedado com a seleção peruana, que estava concentrada para o jogo contra a Argentina pelas Eliminatórias da Copa, em 5 de outubro. Na ocasião, estava gripado e recebeu da nutricionista da seleção e de um garçom do hotel chás prontos para beber.

PUBLICIDADE


A benzoilecgonina, resultado do metabolismo da cocaína ou da coca no organismo, está na lista de substâncias proibidas da Wada. Assim, o jogador respondeu pelo fato de ter apresentado esta substância, e não a cocaína, em seu organismo.

Inicialmente, Guerrero foi punido por um ano de suspensão pela Comissão Disciplinar da FIFA em 8 de dezembro (o julgamento aconteceu no dia 30 de novembro). Em 20 de dezembro, o Tribunal de Apelação da FIFA diminuiu a pena para seis meses. Mesmo assim, a defesa do jogador acionou o CAS porque queria "ficha limpa".

Guerrero já havia voltado aos treinos no Flamengo em 20 de março (45 dias antes do fim da suspensão de seis meses, como prevê o código da Wada).
O Globo


EmoticonEmoticon