quarta-feira

GENERAL AFIRMA QUE CAMILO RECUSOU PROJETO PILOTO DE SEGURANÇA CONTRA O CRIME



Secretário Nacional de Segurança chamou André Costa de ingrato e disse que Camilo “não colaborou, não se esforçou” para que Maracanaú fosse escolhida para executar plano de combate à violência no Brasil.

Pouco antes de receber homenagens na Câmara Municipal de Vereadores de Fortaleza o título de cidadão fortalezense e a Medalha Boticário Ferreira, o secretário nacional da Segurança Pública, Guilherme Theophilo, foi indagado sobre a saída do Ceará da lista do projeto piloto de combate ao crime organizado. De imediato o militar reagiu e disparou ataques contra o governador Camilo Santana (PT) e o titular da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), André Costa.

Theóphilo chamou o atual secretário de segurança público do Ceará, André Costa, de ingrato e disse que Camilo “não colaborou, não se esforçou” para que Maracanaú fosse escolhida para executar plano piloto de combate à violência no Brasil.

Colada com Fortaleza e com um alto índice de criminalidade e expansão das facções, Maracanaú havia sido escolhida por Sérgio Moro para ser pioneira no projeto piloto de combate ao crime organizado. “Foi marcada uma reunião entre o Governo Federal e governadores, no dia 12 de março e Camilo (PT) não compareceu.

Secretário Nacional de Segurança acusou ainda o governo do Ceará de omissão para implantação de projeto piloto de segurança no Ceará. Com orçamento de R$ 200 milhões, o programa nacional deve contemplar 5 cidades no País. “É um projeto com 7 ministérios envolvidos, e o Ceará vai ficar de fora. Mas aí vocês perguntem ao governador Camilo, que ele vai responder”, disse Theophilo. Já André Costa rebateu as acusações de seu chefe maior e disse que Theophilo mentiu quando disse que o Ceará não apoiaria o projeto de Sérgio Moro. Theophilo rebateu e disse que não iria responder porque “ele (André Costa) é um menino e tem muito a aprender ainda”. Em seguida, repetiu: “Quando ele ficar mais velho, ele vai aprender”. Ontem o Ceará voltou a registrar ataques criminosos em Maracanaú, Pacatuba e Fortaleza.

O ex-prefeito de Maracanaú e atual deputado federal Roberto Pessoa (PSDB) também acusou o governador Camilo Santana (PT) de boicotar projeto por motivos políticos, já que Ciro e Cid são adversários do deputado federal.

Revista Ceará


EmoticonEmoticon