segunda-feira

REVOLTANTE.



Até quando iremos ter que presenciar sem nada poder fazer, contra a situação de impunidade reinante neste pais? Presenciamos um caso após outro, de condenações brandas, diante da perversidade praticada por verdadeiros monstros e não vejo outro nome a ser dado a um indivíduo que estupra e mata uma criança, ou mesmo que a vitima não seja uma menor, este crime não deixa de ser hediondo, mas mesmo assim, a sociedade, os familiares das vítimas se deparam com esta proteção insana e declarada praticada pela nossa justiça.  É inadmissível que um condenado por um crime desta magnitude, receba uma pena de apenas 24 anos de reclusão e a este verdadeiro monstro seja dado o direito de cumprir apenas, pasmem os senhores, apenas 4 anos atrás das grades. E o pior é que não para por aí, existem outras regalias para redução desta pena, além de toda mordomia e proteção, incluindo a isso tudo uma verdadeira bonificação ao marginal por ter se tornado um recluso da justiça, o famigerado AUXÍLIO RECLUSÃO, hoje com valor acima do salário mínimo que tem direito o trabalhador deste país.  Uma vergonha isso. E isto não vai mudar, porque aqueles 513 SAFADOS que ocupam aquelas poltronas em Brasília não se preocupam com outra coisa a não ser com os próprios salários. Isto não vai mudar, porque todos os projetos apresentados com o intuito de promover alguma mudança nas leis, não serão votados ou quando forem, aprovados já com todas as modificações que visem sua flexibilização. Nenhuma mudança acontecerá sem que este Código Penal caduco e totalmente desfigurado seja aperfeiçoado e endurecido. Vemos a parte boa da polícia fazendo dignamente seu trabalho e somos obrigados a ver também o judiciário a agir. Cumprindo as leis, portanto, promovendo a impunidade. Em alguns casos, culpar o juiz pela flexibilização é injusto, pois ele apenas cumpriu a lei. Mesmo que por ele, não se tenha observado bom senso, ética e valores humanos, apesar da legalidade de sua interpretação.



EmoticonEmoticon