terça-feira

CRIMINOSOS EXPLODEM BANCO DURANTE A MADRUGADA EM IRAUÇUBA


Moradores contaram que acordaram assustados com o barulho dos tiros.
Criminosos armados explodiram uma agência do Banco do Brasil, em Irauçuba, na Região Norte do Estado, durante a madrugada desta terça-feira (7). Moradores relataram que acordaram assustados com o barulho de tiros. A ação foi confirmada por agentes da Polícia Rodoviária Federal (PRF).
De acordo com o agente David Breno, comandante da PRF na Região Norte, os suspeitos colocaram grampos na pista para furar pneus dos veículos que quisessem trafegar na BR-222.
Parte do grupo chegou a efetuar disparos na unidade policial do município enquanto outros homens explodiam e atacavam a agência bancária. Moradores relataram que ouviram muitos tiros por volta das 3h.


"É perto da minha residência, eram muitos tiros, muitas bombas, foi muito tiro mesmo. Acordei assustado e não imaginava que estava acontecendo" disse o morador Julio Bastos.
"Eu moro próximo ao banco, eu escutei os tiros, forma uns 30 tiros mais ou menos. Aí deu uma parada e depois foram mais tiros ainda. Os amigos começaram a colocar nos grupos e disseram que era uma quadrilha grande mesmo", explicou o morador identificado apenas como Reginaldo.
A agência, segundo os moradores, foi inaugurada há cerca de seis meses.
Equipes do Comando Tático Rural (Cotar) e da Polícia Militar foram acionadas para procurar e capturar os criminosos.


O secretário de agricultura de Irauçuba, Ivan Melo, foi rendido por assaltantes e mantido refém dentro de um carro na madrugada desta terça-feira (7). Durante o ataque, o posto policial da cidade foi metralhado por criminosos.
O secretário só foi liberado durante a fuga e, durante a ação, ficou todo o tempo sob a mira de armas dos bandidos. Ao Sistema Verdes Mares Ivan Melo contou que estava em uma moto e havia deixado sua mãe numa praça, local onde pegaria um transporte para a Capital, quando foi rendido por um dos assaltantes.
“Eu havia deixado a minha mãe na Praça da Secretaria de Educação”.
Ela tinha uma consulta agendada para Fortaleza. Quando eu deixei a minha mãe e saí, os elementos me abordaram", disse.
Ivan Melo afirmou também que os assaltantes pediram para ele ir para a frente do destacamento da Polícia Militar. Quando ele chegou em frente ao local, começaram os disparos.
"Quando eu cheguei, eles começaram a alvejar a delegacia. Isso durou 40 a 45 minutos de muito terror, sem a gente saber o que poderia acontecer dali para frente", relatou.
O suboficial da Guarda Municipal da cidade, Clerdônio Ávila, explicou que, o secretária também foi colocado dentro de um carro "e só o soltaram no momento da fuga"
DN






EmoticonEmoticon