segunda-feira

PLÁGIO. O QUE SERIA?


 Por Valdenir Aguiar

Plagiar não é do meu perfil. Plágio é para os desprovidos de inteligência e capacidade de criação. Geralmente quem faz uso disso, são fãs incondicionais do plagiado. Admirar a capacidade de criação autoral nos leva ao aprendizado do que vale a pena. Leiam obras bem escritas e com conteúdo, e enriqueçam seus vocabulários e conhecimento. O que vou relatar a seguir, que sirva apenas para esclarecimento. A partir de 1969, indo até 1982, frequentei duas escolas particulares, da Professora Cecilia no bairro Coração de Jesus e a do Professor Zé Lopes no bairro Expectativa. A seguir, observem a frequência.  Escola Trajano de Medeiros, Escola Antônio Mendes Carneiro, Professor Arruda, Escola São Francisco de Assis e Colégio Estadual D. José.  Observaram que todas são escolas públicas, inclusive as ditas particulares por mim, eram populares e simples. Nós que frequentamos a escola nesta época, fomos agraciados com a oportunidade de, além de nos ensinarem a ler e escrever, a escola desenvolvia no aluno a capacidade de raciocínio e criação.  Hoje é muito propagado o uso de técnicas de ensino, modelos e formações pedagógicas a meu ver ineficientes, pois, o principal está faltando aos frequentadores de colégio dos dias de hoje, o interesse pelo aprendizado. Aprendíamos a parte didática do ensino, mas também éramos cobrados a desenvolver nossa capacidade de interpretação e as cobranças nas avaliações mensais nos serviam como incentivo a sempre melhorar e aprender realmente. Ainda não existia a famigerada repetência zero, se o aluno não conseguisse comprovar seu aprendizado repetiria o ano sim, se sua frequência não fosse satisfatória também seria reprovado por isso. Os pais mandavam seus filhos para a escola, não para continuarem a receber a bolsa no final do mês, mas, para complementarem sua educação, pois esta era iniciada realmente em casa. O aluno ao adentrar a sala de aula, tal como em sua própria casa, tinha que demonstra respeito ao mestre.
Com disciplina e sede de aprender. Hoje, tudo isso foi perdido. Tornaram a disciplina em opressão, o respeito em cafonisse, levando à desordem e até a agressão física algo de muito frequente. Nas diretrizes da educação atual, nos deparamos com verdadeiras aberrações.  As universidades em sua maioria, são incompetentes no campo da disciplina e para que a sociedade não tome conhecimento disso, conseguiram a criação de leis que proíbem a ação policial em seus campus. E haja desmoralizações em suas dependências.  Por estes e outros motivos, que são apenas uma pequena amostra, que devo agradecer a Deus por ter tido a oportunidade de estudar em uma época que nos ensinavam de verdade e que plagiar não faz parte de minhas necessidades.






EmoticonEmoticon