sexta-feira

REPÓRTER QUE ACUSOU DATENA DE ASSÉDIO SEXUAL RECEBE NOVO DIAGNÓSTICO



A jornalista Bruna Drews, que acusou José Luiz Datena por assédio sexual, recebeu um novo diagnóstico: estresse pós-traumático grave. A suposta abordagem do apresentador teria abalado Bruna de tal forma que ela teve uma profunda crise de depressão e ataques de pânico, intensificados nos últimos meses, segundo a repórter comunicou nesta quinta-feira (23).
Bruna move processo trabalhista contra a Band, que acusa de conivência com as atitudes do âncora do Brasil Urgente. As denúncias contra Datena, feitas em janeiro, correm em segredo na Justiça Criminal.
Pelo instagram, Bruna atualizou seu quadro clínico e mandou uma indireta. "Esta semana recebi um outro diagnóstico: estresse pós traumático grave. Quem me acompanha deve saber exatamente o motivo", disse na postagem compartilhada em sua rede social.
Bruna afirmou também que está disposta a superar os problemas psicológicos. "Hoje, depois de muitos meses, eu me olhei no espelho e disse: 'Chega! Vou lutar como nunca porque tudo passa e não vão conseguir me derrubar! Chega de dor e chega de medo!'", publicou.
Veja aqui a postagem completa:
Entenda o caso
Bruna protocolou denúncia no Ministério Público de São Paulo contra José Luiz Datena, de 62, a quem acusa de ter cometido assédio sexual. Os dois trabalharam juntos na Band durante quatro anos, no Brasil Urgente e no Agora É com Datena.
A repórter afirma que o apresentador lhe chamou de "gostosa", disse que era um desperdício ela namorar outra mulher e que já havia se masturbado pensando nela várias vezes. O episódio de constrangimento teria acontecido em 7 de junho do ano passado, durante comemoração do fim das gravações do quadro A Fuga, do extinto Agora É com Datena, em um bar na região central de São Paulo.
Bruna diz que só decidiu processar Datena agora porque, após o suposto assédio, teve uma grave crise de depressão e pânico, que  se intensificou, segundo ela, este ano.
Bruna também está movendo ação trabalhista contra a Band, à qual acusa de ter sido conivente com Datena. Ela sempre recebeu "cantadas" de Datena no ar e tem crises de depressão desde 2017, mas se manteve no emprego porque precisava pagar contas suas e de seus pais. O momento do assédio, no entanto, foi definitivo para seu afastamento.
"Depois do assédio, caí totalmente. Eu pensei: Caramba, estou trabalhando com um cara que não me vê como profissional, mas como um pedaço de carne", contou ao Notícias da TV. Traumatizada com a situação, Bruna diz que não quer mais trabalhar com jornalismo.
Datena nega todas as acusações. "Isso não é verdade, é falso. Eu disse para ela que ela era uma pessoa bonita. Dizia no ar, pra todo o Brasil ouvir, [que é] bonita e competente. Ela nunca reclamou, só me agradeceu por tratá-la bem", declarou. 
Notícias da TV



EmoticonEmoticon