terça-feira

O PAI QUE ROUBOU O FILHO



Este é Mateus Henrique Leroy Alves, 37 anos,
Pai do João Miguel, de 1 ano e 7 meses, portador
de Atrofia Muscular Espinhal (AME).

A doença é rara, e o tratamento caro. A dose do
medicamento custa R$: 365 mil. E só existe no
exterior. Desesperada a família decidiu fazer uma
campanha através das redes sociais.

O caso mobilizou Conselheiro Lafayette, cidade
mineira onde João Miguel mora, e as vaquinhas
virtuais começaram a arrecadar dinheiro.

A causa uniu pessoas comuns e instituições, as
igrejas, entidades de classe, empresários, e até
as polícias civil e militar em solidariedade.

Shows, festas juninas, partidas de futebol e os
mais diversos eventos foram realizados visando
garantir R$: 2,9 milhões para custear os atos
de tratamento da criança.

MAS...

Em Maio passado as doações ultrapassaram
R$: 1 milhão de reais, e foi então que Mateus,
o pai, passou a agir de modo estranho.

Ele, que liderava a campanha com a esposa,
se afastou das ações e da divulgação, e foi
para BH onde disse que faria um curso de
vigilante, só que desde então sumiu.

Ao checar as contas-correntes das vaquinhas,
a esposa notou os valores diminuindo. Mateus
tinha as senhas das duas contas que a mulher
administrava, enquanto ele cuidava de outras
duas. Diante disso ela foi à polícia.

O PAI LADRÃO

A polícia prendeu este cara em Salvador, onde
ele foi flagrado luxando. Morava em um apart
hotel de frente para o mar e gastava a quantia
da vaquinha com festas, roupas, correntes de
ouro e até maconha. Torrou R$: 600 mil.

A doença de João Miguel é degenerativa, ele
sente dores, sofre de fraqueza muscular por
todo o corpo, não consegue sentar e nem
controlar/sustentar o peso da cabeça.

"Estou arrependido", disse Mateus ao ser
detido, e pediu desculpas. Resolve?
Facebook


EmoticonEmoticon